A cerimônia de comemoração do 60º aniversário de fundação do Centro Cultural Hiroshima do Brasil

  • Às 10 da manhã do dia 25 de outubro de 2015, foi celebrada, no Grande Auditório da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social (Bunkyô), a cerimônia de comemoração do 60º aniversário de fundação do Centro Cultural Hiroshima do Brasil.

    Participaram da cerimônia, representando a província de Hiroshima: Hidehiko Yuzaki, governador de Hiroshima; Naomi Hirata, presidente da assembleia legislativa de Hiroshima; membros da assembleia legislativa; membros assembleia legislativa da federação japão e brasil ; Kazumi Matsui, prefeito da cidade de Hiroshima; Masanori Nagata, presidente da câmara dos vereadores da cidade de Hiroshima; Yoshio Kurata, prefeito da cidade de Higashi-Hiroshima (que mantém um convênio de coirmandade com a cidade de Marília); Mamoru Yamashita, presidente da câmara dos vereadores de Higashi-Hiroshima; Takayuki Yoshida, presidente da Liga das Divisões Administrativas da Província de Hiroshima; Koji Shirai, da Sociedade Nipo-Brasileira de Hiroshima; Hideki Hayashi, presidente do Centro Kagura-kai de Estudos da Arte de Hiroshima; e outros 65 membros da comitiva.

    Do lado brasileiro, participaram da cerimônia: Marcelo Mattos Araújo, secretário da cultura e representante do governador do estado de São Paulo; Walter Ihoshi, deputado federal; Hélio Nishimoto (hiroshimano), deputado do estado de São Paulo; Jooji Hato, deputado do estado de São Paulo; Aurélio Nomura, vereador da cidade de São Paulo; o cônsul-geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae (natural da província de Hiroshima); Ryuichi Nasu, diretor da JICA Brasil; Mikihisa Motohashi, presidente da Federação das Associações de Província do Japão no Brasil (Kenren) e outros representantes de associações nikkeis.

    Prestigiaram a cerimônia associados residentes na cidade de São Paulo e proximidades, além de associados provenientes de lugares distantes, como Belém, Curitiba, Araçatuba, Presidente Prudente (cidades onde há sucursais da associação) e Porto Alegre.
    A cerimônia teve início com as saudações do vice-presidente da associação, Yoshikazu Murakami, após o que foram executados os hinos dos dois países e um minuto de silêncio em respeito à memória dos pioneiros já falecidos. Em seguida, o presidente da associação, Yasuyuki Hirasaki, fez um pronunciamento no qual destacou a importância de se “construir uma entidade onde todos, desde o avô e a avó até os netos e netas, possam se reunir”. Hirasaki também mencionou a importância da participação dos ex-bolsistas da província de Hiroshima para as atividades da entidade. Por fim, agradeceu à província de Hiroshima pelo apoio que vem sendo dado à associação e aos associados, pelos seus esforços abnegados em prol do Centro Cultural Hiroshima do Brasil.

    O cônsul-geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae, disse estar “muito feliz por poder participar, num mesmo ano, do aniversário de 60 anos do Centro Cultural Hiroshima do Brasil e das comemorações de 120 anos da assinatura do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Japão-Brasil — ou seja, dois kanreki < nome que se dá ao aniversário de 60 anos > no mesmo ano”.

    Naomi Hirata, presidente da assembléia legislativa da província de Hiroshima, disse aos presentes que “muitas pessoas haviam imigrado de Hiroshima para o Brasil, tendo de superar enormes desafios num ambiente hostil, e conquistando no final uma posição sólida, de confiança, na sociedade de destino, o que constitui motivo de grande orgulho para os moradores da província de Hiroshima”.

    O governador da província de Hiroshima, Hidehiko Yuzaki, se disse muito contente com sua primeira visita ao país e expressou o orgulho que os habitantes de Hiroshima sentiam pelo sucesso dos imigrantes, o qual ele descreveu como “um importante tesouro para todos nós”.

    Mais tarde, foram trocados presentes entre a comitiva da província de Hiroshima (governador, presidente da assembleia legislativa, presidente da delegação dos membros da assembleia legislativa, líder da delegação da federação de japão e brasil da assembleia legislativa, prefeito da cidade de Hiroshima, presidente da câmara dos vereadores da cidade de Hiroshima, prefeito da cidade de Higashi-Hiroshima, presidente da câmara dos vereadores da cidade de Higashi-Hiroshima, presidente da Liga das Divisões Administrativas da cidade de Hiroshima, presidente da Sociedade Nipo-Brasileira de Hiroshima) e o Centro Cultural. A comitiva de Hiroshima trouxe espátulas de madeira (“shamoji”) do santuário de Itsukushima, rolos de papel com trabalhos de caligrafia (“kakejiku”), bandejas laqueadas (“bon”), máscaras artesanais “kimen” e camisetas. O Centro Cultural Hiroshima, por sua vez, ofereceu à comitiva pinturas feitas pela associada Elza Oda (imagens de frutos) e algumas peças de artesanato esculpidas em ágata.

    Durante a cerimônia, 13 idosos e 4 importantes colaboradores foram homenageados pelo governador da província com um diploma e um presente comemorativo. Representando os homenageados, o ex-vice-presidente da associação Hiroshi Ochikubo transmitiu uma mensagem de agradecimento ao governador.

    Homenageados: (idosos) Sumiko Suzuki, Kazuko Enoki, Kazuko Misaki, Shiro Iwami, Taeko Obara, Kazuichi Yamane, Yoshie Yoshimoto, Junro Tawase, Shoshichi Nakamori, Yoshiko Suga, Jorge Tarumoto, Kumiko Morioka, Yoshiharu Oki; (colaboradores) Hiromu Ohnishi, Hiroshi Ochikubo, Carlos Minoru Morinaga, Masayuki Natsumeda.

    Na mensagem de agradecimento dos ex-bolsistas da província de Hiroshima, o ex-presidente da associação Hiromu Ohnishi destacou a importância dos programas de bolsas mantidos pela província, que representaram “um novo ponto de partida” para muitos ex-bolsistas.

    O discurso de encerramento ficou a encargo de Elzo Sigueta, presidente da comissão dos festejos, que agradeceu a todos pela presença numa cerimônia de tão longa duração.

     

    Confraternização

    Após a cerimônia da quebra do barril de saquê, o governador de Hiroshima, Hidehiko Yuzaki, o presidente da associação, Yasuyuki Hirasaki, e o ex-presidente Hiromu Ohnishi cortaram o bolo. O brinde foi feito pelo presidente da Sociedade Nipo-Brasileira de Hiroshima, Koji Shirai, e pelo general Angelo Okamura (descendente de imigrantes de Hiroshima), que veio do Rio de Janeiro especialmente para a cerimônia. Em seguida, servido o almoço buffet americano e o show de samba, que levou grande alegria aos 400 participantes da cerimônia. Com a confraternização, podemos dizer que os laços entre os associados e a comitiva da província de Hiroshima se estreitaram sobremaneira.

    Espetáculo de performance teatral “kagura”

    Apresentação de arte tradicional do “Kagura de Hiroshima” foi realizado no mesmo local, das 15 horas até por volta de 17 horas. Os espectadores chegaram a ocupar cerca da metade do piso superior de auditório. O grupo de Kagura de Hiroshima com 25 pessoas, apresentou 2 peças “Momijigari” e “Yamata no Orochi” (40 minutos cada) Em seguida, o Grupo Kagura do Brasil apresentou a peça “Ebisu”.(20 minutos). Há cena, que expressa a emissão de fios da teia de aranha feitos de papeis compridos, pelo demônio. Foram distribuidos aos espectadores as programações e sinopses da peças em portugues e japonês, mesmo não expresse os japonês foram capaz de entender as palavras dos artistas. Fascinado com a apresentação da Arte do Kagura de Hiroshima, os espectadores várias vezes aplaudiram em pés. No final da performances o público levantada gritos de Viva, “Banzai” (aplaudir).
    Ao redor da Aiko Tachibana, coordenadora do Grupo Kagura do Brasil, respondiam amavelmente as perguntas dos repórteres.

    Exposição fotográfica “70 anos do lançamento da bomba atômica em Hiroshima e Nagasaki”

    Cerimônia de abertura: início às 10:30 do dia 24 de outubro de 2015 (sábado).
    Local: biblioteca da Fundação Memorial da América Latina

    A exposição fotográfica foi uma atividade conjunta do Centro Cultural Hiroshima do Brasil, Nagasaki Kenjinkai do Brasil, e Associação Hibakusha Brasil pela Paz e Fundação Memorial da América Latina, realizada entre os dias 24 de outubro e 6 de novembro de 2015. À cerimônia de abertura estiveram presentes o governador de Hiroshima, Hidehiko Yuzaki, o presidente da assembléia legislativa de Hiroshima, Naomi Hirata, o prefeito da cidade de Hiroshima, Kazumi Matsui, o presidente da câmara dos vereadores de Hiroshima, Masanori Nagata, assim como diversos membros de outras comitivas, além de 80 estudantes da Escola Estadual “Cidade de Hiroshima” e cerca de 200 convidados.

    Na ocasião, o presidente do Centro Cultural Hiroshima do Brasil, Yasuyuki Hirasaki, expressou em seu discurso o seu desejo de que as pessoas sentissem a tragédia da bomba e fizessem a escolha pela paz. O presidente do Memorial da América Latina, João Batista de Andrade, disse que “através das imagens expostas aqui, o Japão olha não para o passado, mas para o futuro. Não existem fronteiras para a paz” e expressou seu contentamento pela atividade, que aproximava o estado de São Paulo da província de Hiroshima. Os deputados estaduais Jooji Hato e Hélio Nishimoto também ressaltaram a importância da cultura da paz.

    O cônsul-geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae, mencionou o fato de que “Hiroshima, com centenas de milhares de vítimas, hoje é uma cidade próspera e vivaz” e ressaltou a importância de se realizar atividades como esta num país tão distante como o Brasil.

    O prefeito da cidade de Hiroshima, Kazumi Matsui, destacou que a Organização Prefeitos pela Paz, da qual é também presidente, “conta hoje com 6.800 cidades-membro distribuídas por 161 países e milita em favor da eliminação das armas nucleares em todo o mundo, além de promover atividades que mostram o sofrimento provocado pelas armas atômicas a fim de torná-lo conhecido às próximas gerações. Espero contribuir para o sucesso de nossa missão.”

    O governador de Hiroshima, Hidehiko Yuzaki, disse em seu pronunciamento que, na condição de governador de uma província atingida pela bomba atômica, “espera que Hiroshima possa contribuir para um mundo livre de armas atômicas”; que “a cidade vem promovendo a construção da paz, a revitalização e a extinção das armas atômicas”; e destacou o papel desempenhado por Hiroshima na promoção da paz mundial.

    Após, os estudantes da Escola Estadual “Cidade de Hiroshima” fizeram a entrega simbólica ao prefeito da cidade de Hiroshima mil “tsurus” feitos com dobradura de papel pelos alunos.
    Em seguida, as autoridades se dirigiram ao local da Exposição fotográfica, cortaram a fita inaugural e tiraram fotos com os alunos e demais presentes.

     

    Referência: Jornal São Paulo Shimbun, Jornal Nikkei Shimbun