Estado de São Paulo introduz fase de emergência (15 a 30 de março)

Em 11 de março, o Estado de São Paulo anunciou em entrevista coletiva que iria introduzir restrições mais rígidas (fase emergencial) ao plano estadual de retomada da atividade econômica (Plano SP) do que a atual Fase 1 (vermelha). O esboço do conteúdo da conferência de imprensa é o seguinte.
1 A taxa de ocupação de leitos em UTI foi de 87,6% (o número de internados ultrapassou 9.000) mesmo na região metropolitana do estado de SP, e o número de óbitos também aumentou 12% em relação à semana anterior. mês. Diante dessa situação, o Plano SP apresentará um Fase emergencial.
2 A fase de emergência é aplicada de 15 de março a 30 de março.
3 Na mesma fase, o toque de recolher (toque de recolher) será implementado das 20h às 5h da manhã seguinte.
4 Na fase de emergência, os serviços não essenciais manterão as restrições da Fase 1 (vermelha), mas algumas restrições também serão impostas aos serviços comerciais atualmente permitidos. Como um exemplo específico, a entrega de refeições cara a cara para clientes em lojas como bares e restaurantes é proibida. Esses itens só podem ser entregues entre 5h e 20h por entrega ou drive-through. Os supermercados podem operar no formato normal dentro do tempo permitido. Além disso, eventos religiosos em grupo e atividades esportivas em grupo em instalações religiosas, como igrejas, também são proibidos.
5 As escolas estaduais estão basicamente fechadas, exceto por medidas verdadeiramente necessárias (feriados como feriados consecutivos são alocados antes do previsto durante o período de fechamento). É permitido atender alunos que tenham uma necessidade específica, como distribuir materiais didáticos ou contar com a merenda escolar para as refeições diárias. Esforços semelhantes são necessários para escolas particulares.
6 Independentemente do setor público ou privado, o teletrabalho é obrigatório para trabalhos não essenciais de escritório.
 
 
 
 
 
Posted in: